quinta-feira, 6 de julho de 2017

lendo 237

"Sabia que, mais tarde, as coisas iriam ficar progressivamente vazias e estimava a relação com a mulher, dando-lhe cada vez mais um cunho de despedida e de perda."
António Modesto Navarro in Morte em Vila Flor, Produções Editoriais lda, Lisboa Maio 2005, pág 57

A antecipação do final da relação evoca, naturalmente, um efeito de vazio, uma expectativa de perda, mas, e a rigor, com o tempo, esse vazio enche-se de todas as memórias da relação e a sensação de perda acaba por ser, também, a memória de um tempo de conjunto, de agregação e, sobretudo de comunhão.
A dedução a quente tem todas as consequências que os actos feitos a quente. Emoção apenas. Mais tarde o entendimento varre o que pouco presta e o que está a mais, integrando e explicando tudo.

Sem comentários: