quarta-feira, 7 de junho de 2017

Teatro?

E corre para a boca de cena
- Perdi
E agitasse com frenesim, quase num ataque histérico
- Perdi!
E do fundo do palco, pesaroso, aproxima-se um volume sobre certa escuridão, mas com audível passo.
- Que perdes-te tu?
Ainda dentro da sua excitação, repete-se
- Perdi!..... perdi....
Os passos tornam-se mais lentos, muito lentos
- Dizem alguns da ciência que nada se perde...
- Ah! Que sabes tu! Perdi!
- Onde algo falta, n'algo se acrescenta.
- Ah... é tão fácil filosofar..... Perdi.
- Onde algo falta, algo se acrescenta.

E a cena pára.

Para esta, que algo perdeu nada se acrescentou, pelo que de nada vale insistir na cena.

A peça era boa, a ideia era boa, mas se não se entende de nada vale.

Sem comentários: