quarta-feira, 24 de maio de 2017

De uma discussão

De frase fácil, rápida e tantas vezes irreflectida acabou por ser presa de si mesmo. Sempre tão fácil de ser apanhado nas voltas das desinterpretações da comunicação até que começou a aprender a calar. E foi, aos poucos, deixando de falar.
Começava a discussão e passou a sair do corpo que esta na discussão e, alheado das respostas, passou a ouvir mais e a mastigar não a discussão, o que se discutia, mas porque é que se discutia. O que gerara a discussão e o que ela visava.
Sem surpresa, entende que a discussão não visava debater qualquer tema, mas sobrepor uma forma de estar, impor um modelo, forçar uma opção. Não importava a argumentação, nem sequer as palavras. Nada, a bom rigor importava. Apenas um ego.
Calou mais.

Sem comentários: