segunda-feira, 10 de abril de 2017

Esqueci-me de ser outro

Esqueci-me de ser outro
E, sobretudo,
Porque ando sempre
Atrás do mesmo.
Não uma mania,
Um finca pé,
Ou insistência de mau génio.

Apenas desejo,
Penso e anseio
O que faça sentido,
Que integre tudo
Em resultado lógico,
Consequente
E deduzido de princípios.

E sei, sempre soube
O que disso vier
É o mais certo que há para haver
Pelo que, e como ser pensante
Apenas isso posso desejar.
Fora disso era ser outro
O que, desde sempre,
Me esqueci de ser.

Sem comentários: