segunda-feira, 20 de março de 2017

Fazer suas as mágoas alheias

Vive assim
A sentir as penas
E as dores da vida alheia
Com intensa entrega
E, sem se aperceber,
Vai-se quedando
Duplamente mais amarga,
Com um queixume facial
Numa acidez corporal
Irrelevante
É que, por mais esforço
Que dedique a essa causa,
Por mais empenho
E até emoção
Nunca será mais
Que um mero figurante

Por natureza dos enredos
Absolutamente não existe.

Sem comentários: