quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

Uma mulher

A impossibilidade de se ser
Um futuro para além de si
Nasce num pedaço de passado
Que ficou por viver.

E ficou nesse tempo
Onde ainda não se é,
Mas que se entende que tudo cabe
Dentro da palma de uma mão.

Depois, num ápice saltou mulher
Sem o tempo de crescer Mulher
Ser uma Eva que dá a maçã
Sem a dinâmica da serpente.

E fora do tempo
Volta a esse buraco
À procura dos instrumentos
Para conhecer esses momentos.

A ambição de ser completa
Passa pela fusão do passado
Com todo o presente
E integrando essa ausência

E futurando-se numa íbis
Que vindo do princípio do tempo
Fecunda o presente
Na plena prosperidade.


Sem comentários: