sexta-feira, 3 de fevereiro de 2017

Gerir emoções

Gerir equipas em função da necessidade de protecção emocional é um desastre. Fazer passar a responsabilidade para terceiros torna-a inqualificável.
Todas as pessoas têm qualidades e defeitos. Ninguém pode estar sobre qualquer outra pessoa pelo simples facto que emocionalmente seja necessária.
E pior, não se pode ostracizar alguém com base no medo de expor as suas fragilidades emocionais. Mais tarde ou mais cedo o azeite separa-se da água.

E estes erros podem ter preços mais elevados do que se possa admitir.

Sem comentários: