quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

Verdade e verdades

Num outro dia, e sobre um tema relacionado com o conceito de verdade, fui surpreendido com o comentário que, de cor, transcrevo:
- Não existe uma verdade. Existem várias verdades, tantas quantas as interpretações.
Como de costume, e método, calei-me para poder pensar. Há coisas que carecem de silêncio e tempo de alma para se poder encontrar não só a resposta, mas, e sobretudo, a motivação da resposta.

Verdade só existe uma. Não haja a mais pequena dúvida sobre o tema. A multiplicidade produz a sua negação. Verdade só tem sentido enquanto unidade.

Qual o sentido dessas "verdades"? O que se passa é que perdemos o esforço de pensar e entender para introduzir o sujeito e todos os seus vícios, hábitos e, sobretudo afectos, para adequar algo ou alguma coisa a um propósito que lhe interessa. Não se distancia o suficiente do que se está a meditar de modo a afastar o sujeito que o está a pensar. E deste mau hábito nascem todas as guerras, todos os desentendimentos, todos os mal-entendidos. Quando não se é capaz de pensar fora do "nós" nunca chegaremos a um ponto válido.

A minha formação obriga-me imensamente a isto.

Sem comentários: