sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

Lendo 199

"(...)
E amei-te sem saberes
amei-te sem o saber
amando de te procurar
amando de te inventar
(...)"
Mia Couto in raiz de orvalho e outros poemas, Editorial Caminho, Lisboa 1987, 6ª edição, pág 20

Ler este excerto é tocar em alguma coisa maravilhosa e partilhar dessa beleza.

Sem comentários: