segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

Escatologia do ano novo

Há pouco, enquanto cortava as unhas pela primeira vez no ano de 2017, perguntava para os meus botões, qual o significado escatológico de estar a cortar as unhas pela primeira vez em 2017? Quantas vezes mais o vou fazer? Terá algum sentido subentendido? Estarei a cortar bocados de mim ao longo do ano?

Para lá deste discurso absurdo e sem sentido, o ano novo puxa sempre para reflexões desta natureza. Não do corte de unhas, evidentemente, mas de todas as questões que rodeiam uma qualquer vulgaridade praticada e os sentidos que pode ter numa reflexão sobre o homem, o seu lugar no mundo e a eternidade. Temas, como se pode verificar, estão completamente ligados às unhas.

2017 em modo reflexivo, portanto.

Sem comentários: