domingo, 18 de dezembro de 2016

Tenho saudades...

Tenho saudades...
Não desse tempo parado
Que a memória eterniza
Em moldura dourada.
Mas de poder ser,
Tudo e nada,
Apenas o que fosse
Tão denso como um beijo
E tão certo como o abraço
Solto e sem passado.

Amar sem ontem,
Apenas para amanhã.

Fosse ele o que fosse...

Sem comentários: