domingo, 25 de dezembro de 2016

Lá fora - dedicado ao Natal

Vejo roupa estendida
Como se fossem afectos
A secar a um vento
Que teima em não soprar.

Oiço palavras e frases
Tudo cheio de sentidos
Apenas para quem
Um dia, as escreveu.

E encontro sorrisos
E caras iluminadas
Por um contágio colectivo
Que faz parte do calendário.

E chego a encontrar afecto,
Amor, até,
Apenas porque a isso
Se fazem disponíveis.

E olho-me, ausente
Dessa encenação recorrente.
Espectador que recolhe
Este feitio de ser diferente.

Onde morará, afinal,
O sentido de se ser
Mais por dentro
Do que lá fora?

Sem comentários: