quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

engano

Quem queres enganar
Quando é a ti que te enganas?

E, pelo caminho, o engano não falece,
Nem diminui,
Nem se quebra,
Apenas se adensa

E quanto maior a confusão
Mais seguro estarás
Que, afinal, esse engano
Tinha uma qualquer
Absurda justificação

A tua vida já não.
O logro instalou-se
E, como um vírus
Ferir-te-á de morte.

Sem comentários: