sexta-feira, 28 de outubro de 2016

Do meio do caminho

Do meio do caminho
De onde recolho aqueloutra
imensidão de pedras,
Acabo por tropeçar
Nas do costume.
Não que sejam as mais pesadas,
As mais sujas
Ou as mais difíceis,
São, simplesmente, aquelas,
Que sendo o que são,
Sou eu todo nelas.
E não há como dizê-las,
Nem como explicá-las.
São a reincidência
Da minha originalidade.

Sem comentários: