sexta-feira, 30 de setembro de 2016

Os meus demónios


Os meus demónios são assim
A preto e branco
Que se expandem
Por uma luz
Que os amplia.

Os meus demónios são sombras
Feitas de outras luzes
Escondidas em mim
E tremem com o vento
que sopra na minha alma

Os meu demónios são meus
Pessoais e intransmissíveis
Pedaços de fantasias
Em estados efémeros
Que se futurizam

Sem comentários: