sexta-feira, 30 de setembro de 2016

E lá fui


Desci até ti
Perto, muito perto
Até te sentir respirar
Ofegante
Inquieto

Tudo o que espias
O mundo que vês
São palavras mudas
E sentidos trocados
Que apenas os sabe
Quem os disse ao passar
Sem te ver
Sem te sentir

E ao pé de ti
Esperei pelo que ficou
Pendurado no devir.

Sem comentários: