quinta-feira, 18 de agosto de 2016

Lendo 183

"Na rua da Piedade
Encontrei-te, à luz da Lua.
Ia a dizer-te a verdade,
Lembrou-me o nome da rua..."
Augusto Gil in O craveiro da janela, 4º edição, Portugália Editora, Lisboa, 1957, pág 74

Quantas vezes me perdi por não me ter lembrado em tempo do nome dessa rua. A verdade é algo que para ser escutada, precisa que quem a irá fazer tenha aptidão para o efeito. De resto pode ser, apenas um exercício de sadismo encapotado.

Sem comentários: