quarta-feira, 31 de agosto de 2016

Invejo

Todos os que vão de férias
E onde elas são férias
E nelas há paz...
Há prazer de estar,
De encontrar espaços,
Pessoas e lugares...
Até tempo.

Invejo quem tem tempo
Para parar-se,
Para demorar
No canto de si,
Como se fosse o fim do mundo.

Invejo quem tem tempo
Até de férias
Para ser o que quer
O que pode ser
O que se deseje ser.

Invejo paz,
A serenidade de deixar
Ser como se é,
Como os outros são.
Como o mundo é.

Desejo paz,
Que haja paz,
Que se sinta paz,
Que se ame essa paz.

Desejo que haja eu,
Assim como haja outro
E mais outro,
E ainda mais outro.
Que cada um haja por si,
Para si,
E todos no mesmo todo.

Invejo quem sinta isto,
Que veja isto,
Quem entenda isto
E, no fundo...
Seja.

Sem comentários: