domingo, 3 de julho de 2016

Do amor?

Ía começar um poema
Coisa de amor
Não do que sinto
Mas da ausência
Desse buraco que grita

E pensar que houve um tempo
Em que fui todo
E não me lembro

Sem comentários: