quarta-feira, 15 de junho de 2016

Poema

Hoje sulco a minha alma,
Deixando nessa dor,
A semente que amanhã florirá.
Até lá rego-a assim

Sem comentários: