quarta-feira, 22 de junho de 2016

Lendo 157

"(...)
(A voz de Satanaz já nesse tempo
era humana e natural...)
(...)"

Miguel Torga, in O outro livro de Job, Coimbra, 1986, pág 12

Neste livro de poesia, quase biográfica de Torga, transporta de forma maravilhosa a ideia da raiz do mal absolutamente na natureza do homem. E como não?

Sem comentários: