segunda-feira, 16 de maio de 2016

Poema

Quero o nada
Mais que a ausência
A plenitude vazia
O todo sem parte alguma.
E nele reter-me
Em silêncio
Meditando
E, claro,

Suspirando-te

Sem comentários: