quinta-feira, 5 de maio de 2016

Ás vezes é assim

Corria um monólogo onde um actor de circunstância repetia o discurso de alguém, como convém, aliás. A seu lado, feito acólito, estava a companhia em silêncio e cabisbaixo. O tempo desse acto terminou e apenas a companhia se manteve em cena. E perguntaram-lhe:
- Então tu concordavas com aquelas coisas todas?
- Eu???? não!, de todo!
- Como assim?
- Não viste que estava calada?
- Há silêncios que são cúmplices, pois permitem que se repitam frases que não são verdadeiras, para além de forçarem intenções.
- Mas não podia fazer nada...
- Podias sempre
- Sim...
- Ninguém te obriga a estar ali.
Calou-se. Pensava mais no seu futuro do que na verdade, na justiça, na circunstância e.... no palerma que me chagava! Raios o partam!

O tempo passou e hoje treina para actriz.

Sem comentários: