terça-feira, 26 de abril de 2016

do tempo

Algures no tempo
Nesse, o primeiro,
Da raiz, da seiva
Deceparam troncos...

Mas fez-se, ainda assim,
Uma árvore que se vê.
E da amputação feita
O grito mantém-se.

Sem comentários: