terça-feira, 8 de março de 2016

Mais uma curiosidade

Conheci uma mulher... pois nem sei se cheguei a conhecer essa mulher, talvez reconhecesse o seu aspecto físico, a sua fisionomia, a estrutura do seu corpo, mas, de facto não a conhecia. Ela vivia de tal modo num mundo de faz de conta que nunca se chega a perceber onde mora o que realmente é, o que lhe é substante.
E meditando nessa personagem ocorre-me pensar se ela terá uma ideia de si? E será a mesma ao longo da vida, ou cada dia muda, ou mesmo durante o dia?
E será que sofre? E sofre de quê? Da sua dor, ou da dor da sua fantasia do momento?
E será que ama?
E poderá ser amada? E quem a ama, ama exactamente quem? A de que momento?

Sem comentários: