segunda-feira, 28 de março de 2016

Lendo 139

“Todo o Inverno
O solitário bambu
Mediu forças com o vento”

Pde José Tolentino de Mendonça, in “A papoila e o monge”, Assírio e Alvim, Lisboa 2013, pág 144

Há, neste haiku, uma ideia mais próxima do pensamento japonês, pelo menos daquilo que posso eu entender como tal, que coloca o homem na natureza e como o tempo lhe é manifestamente exterior e ao qual o homem se expõe. Falhará, todavia, na medição de forças, pois que o homem deve integrar a força do vento invernio e em vez de medir forças com ele, entender e viver de acordo com a força desse vento.

O Papa Francisco pede-nos para fazer pontes e não para nos medir com a natureza.


Sem comentários: