sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

Curiosidades mundanas

Fui tardiamente à feira da ladra à procura de tanta coisa que nem sabia o que era. Eram pedaços de mim e da minha vida, pequenas coisas que de algum modo são peças de decoração da vida.

Sem olhar para nana em especial noto uns óculos de sol Ray Ban  e fico interessado. Discutimos o preço com a generosidade de quem compra a alguém que vende o que tem para poder ter a vida possível até ao dia seguinte.

Passados uns 5 a 10 minutos, quando olho novamente para a compra noto que afinal comprei uns Rau Bein, ou seja uma contrafacção sem valor e, provavelmente sem qualidade.

Ri-me de mim mesmo.

Hoje, passados três dias, notei que acabo de verificar que tomei pessoas por Ray Ban, dei-lhes o crédito na suposição intrínseca do valor associado e noto que fui demasiado generoso. Apesar da forma e da ilusão funcional, falta-lhes a qualidade intrínseca que se espera de um atributo.

Desolei-me da minha vontade de sempre querer acreditar nas pessoas.


Sem comentários: