quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

O tempo foi interrompido...

O tempo foi interrompido...
Se por mão de Deus
Ou por descuido humano,
A fenda irremediável abriu.

Pouco importa o porquê.
A fenda fez-se coisa,
Traço que engrossa
E mar que se agiganta.

E o tempo que passou
Nele ficou e lá se selou.
Será tema para pesquisa
Nos arquivos do amor,
                           a da dor.

E deste epicentro do tempo
Abre-se noutro modo de possibilidade,
Que seja o que for,
Será sempre diverso.

E nessa diferença
Há sempre momentos
Para recomeços
Ou singelos começos.

O tempo não pára
E num nada o amanhã terá já sido,
Nada é certo ou correcto,
Tudo é apenas caminho.

Sempre.

Sem comentários: